Assine nosso Informe

Seu e-mail*
Seu nome*
CAPTCHA Image
Código Captcha*
   Atualizar código Captcha
Aviso aos assinantes do Informe UFFDEFESA .

TRADUTOR

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

PRÓXIMOS EVENTOS

Sem Eventos

CALENDÁRIO DE EVENTOS

Dezembro 2020
D 2a 3a 4a 5a 6a S
29 30 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31 1 2

VISITANTES

179644
HojeHoje56
OntemOntem87
Nesta SemanaNesta Semana143
Neste MêsNeste Mês56
TotalTotal179644
Seu ip10.255.255.29

Calendário de Eventos

Mês anterior Dia anterior Próximo Dia Próximo Mês
Ver por Ano Ver por Mês Ver por Semana Veja Hoje Buscar Ir para um Mês

A Governança da Logística de Defesa: uma análise comparativa da situação de Brasil, França e Suécia.

De Segunda-feira, 08 Setembro 2014 -  7:00
Para Terça-feira, 09 Setembro 2014 -  5:00
Acessos : 498

A Governança da Logística de Defesa: uma análise comparativa da situação de Brasil, França e Suécia.

 

Mesa Redonda que será realizada durante o VIII Encontro Nacional da Associação Brasileira de Estudos de Defesa (VIII ENABED), em Brasília, DF, de 8 a 10 de setembro de 2014.

 

Composição da mesa:

 

EDUARDO SIQUEIRA BRICK: Professor Associado 4 do Departamento de Engenharia de Produção da Escola de Engenharia da Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ, Brasil

CV RESUMIDO:membro titular da Academia Nacional de Engenharia, formado em Engenharia Elétrica-Eletrônica pela PUC/RJ, PhD em Engenharia de Sistemas pela US Naval Postgraduate School, USA, Capitão de Mar-Guerra da reserva do Corpo de Engenheiros e Técnicos Navais, coordenador do Núcleo de Estudos de Defesa, Inovação, Capacitação e Competitividade Industrial (UFFDEFESA) e do Núcleo de Logística Integrada e Sistemas (LOGIS) da Universidade Federal Fluminense (UFF), professor credenciado do Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção (mestrado e doutorado) e do Programa de Pós-graduação em Estudos Estratégicos da Defesa e da Segurança (Mestrado) da Universidade Federal Fluminense (UFF), membro do Centro de Estudos Político-Estratégicos (CEPE) da Escola de Guerra Naval (EGN).

HÉLÈNE MASSON: Maître de recherche à la Fondation pour la recherche stratégique encarregada do Departamento de Indústria de Defesa, (FRS) Paris , França


CV RESUMIDO: Doutora em Ciência Política. Seus trabalhos tratam das questões industriais de defesa, políticas de aquisição e de P&D de sistemas de defesa, cooperação internacional em armamentos e controle de exportações. Também desenvolve atividades no l'Institut National des Hautes Études de la Sécurité et de la Justice (INHESJ). É autora do livro L'intelligence économique, une histoire française, Paris, Vuibert, 2012 é codiretora da publicação de L'intelligence économique. Quelles perspectives?, Paris, FRS/L'Harmattan, 2004

MARTIN LUNDMARK: deputy research director da Swedish Defence Research Agency (FOI).

CV RESUMIDO:). Possui PhD em Administração de Negócios pela Stockholm School of Economics. Sua tese com o título "Transatlantic Defence industry since 1998", estudou a indústria de defesa internacional e as práticas de aquisição, pesquisa e inovação para defesa. Seu foco atual de interesse em pesquisa são os sistemas nacionais de inovação para defesa. Tem sido pesquisador visitante no MIT, Boston, e FRS, Paris. Atualmente também colabora com RSIS (Singapore), NUPI e NIFU (Oslo), FRS (Paris), Universidade Federal Fluminense (Rio de Janeiro) e University of Vancouver.

Ementa

 

A Estratégia Nacional de Defesa (END) enfatiza que:
"Estratégia nacional de defesa é inseparável de estratégia nacional de desenvolvimento. Esta motiva aquela. Aquela fornece escudo para esta. Cada uma reforça as razões da outra. Em ambas, se desperta para a nacionalidade e constrói-se a Nação. Defendido, o Brasil terá como dizer não, quando tiver que dizer não. Terá capacidade para construir seu próprio modelo de desenvolvimento".

Dentre as várias dimensões do Poder Nacional, destacam-se os aspectos de ciência, tecnologia e inovação, base industrial e capacidade de mobilização de recursos de toda a ordem para enfrentar situações de contingência. Esses recursos podem ser tanto humanos quanto quaisquer outros tipos de recursos tangíveis e intangíveis que possam ser usados para a defesa.

Todos esses aspectos estão cobertos no conceito de Base Logística de Defesa (BLD).

A Base Logística de Defesa é o agregado de capacitações, tecnológicas, materiais e humanas, necessárias para desenvolver e sustentar a expressão militar do poder, mas também profundamente envolvidas no desenvolvimento da capacidade e competitividade industrial do país como um todo.

Portanto, existe uma grande interdependência entre a Base Logística de Defesa e o desenvolvimento econômico, baseado em capacidade industrial para produtos de alto valor agregado. Assim, as políticas de defesa, industrial e comércio exterior e ciência tecnologia e inovação (CT&I) estão inexoravelmente entrelaçadas. Além disso, a indústria de defesa é importante instrumento de política externa.

Há de se chamar atenção para nove componentes da BLD, que apresentam aspectos distintos, mas que interagem com grande intensidade:
• a infraestrutura industrial da defesa;
• a infraestrutura científico-tecnológica da defesa;
• a infraestrutura de inteligência tecnológica para defesa;
• a infraestrutura de financiamento da defesa;
• a infraestrutura de mobilização para defesa;
• a infraestrutura para aprestamento de meios de defesa;
• a infraestrutura de comercialização de produtos de defesa
• A infraestrutura de gestão da aquisição de sistemas de defesa e do desenvolvimento e sustentação da base logística de defesa
• o arcabouço regulatório para sustentação e fortalecimento da BLD

A Base Logística de Defesa se constitui, junto com as Forças Armadas, nos dois principais instrumentos para a defesa de um país. Como tal, ela é de responsabilidade do Estado. Dessa forma a infraestrutura de gestão da aquisição de sistemas de defesa e do desenvolvimento e sustentação da base logística de defesa, acima relacionada como um dos 9 componentes da BLD, assume papel fundamental para a defesa e requer um corpo técnico altamente especializado capaz de cuidar desse assunto.
Robert Mc'namara, ex Secretário de Defesa americano, já dizia que a aquisição de sistemas de defesa é uma das atividades mais complexas a que o homem se dedica. Nos EUA somente para essa atividade existem mais de 150.000 pessoas. Na França e Reino Unido são dezenas de milhares de profissionais com formação nas várias engenharias, economia e administração.

Esta mesa tratará de discutir exatamente como os três países considerados (Brasil, França e Suécia) administram suas BLD e o desenvolvimento e aquisição de sistemas de defesa. Ou seja, como é feita a governança da BLD.

Localização : Brasília, DF

Voltar

JEvents v2.2.8   Copyright © 2006-2012

Editor-Chefe: Prof. Eduardo Siqueira Brick
Copyright © 2011 Portal do UFFDEFESA. Todos os direitos reservados.