Assine nosso Informe

Seu e-mail*
Seu nome*
CAPTCHA Image
Código Captcha*
   Atualizar código Captcha
Aviso aos assinantes do Informe UFFDEFESA .

TRADUTOR

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

PRÓXIMOS EVENTOS

Sem Eventos

CALENDÁRIO DE EVENTOS

Janeiro 2021
D 2a 3a 4a 5a 6a S
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31 1 2 3 4 5 6

VISITANTES

183008
HojeHoje12
OntemOntem58
Nesta SemanaNesta Semana421
Neste MêsNeste Mês1050
TotalTotal183008
Seu ip10.255.255.29

Análises

Desafios para alocações no orçamento de defesa da Índia

 

No artigo India's Defence Budget 2020-21, Laxman Behera, do IDSA, analisa o orçamento de defesa de US$45 bilhões da Índia.

Nos últimos 10 anos, o percentual de investimentos no orçamento decresceu de 35 para 26%, enquanto o gasto com pessoal cresceu de 49 para 59%.

Este excessivo gasto com pessoal é considerado um grande problema a ser resolvido para permitir o desenvolvimento de uma efetiva capacidade de defesa para a Índia.

Artigo recente publicado neste Portal, analisa as mudanças de prioridade no orçamento de defesa americano, que aumenta a ênfase em P&D a ser propiciada pela desativação de meios, muitos deles com menos de 20 anos em serviço. Ou seja, mesmo com um orçamento gigantesco, da ordem de US$740 bilhões, os EUA tiveram que desativar ativos e mudar suas prioridades.

O Brasil, entretanto, apesar de um orçamento de defesa muito mais desequilibrado, com um percentual ínfimo do orçamento dedicado a P&D e aquisições de meios (menos de 10%), parace que não acordou para a necessidade de reformas urgentes na sua estrutura de defesa.

Possivelmente esse atraso pode ser causado pela falta de um arcabouço conceitual que permita traçar uma estratégia coerente para desenvolver capacidades militares efetivas. Estas, modernamente, não se limitam a capacidades operacionais de combate, representadas pelas unidades militares e seus sistemas de armas. Cada vez mais, principalmente para países do porte de Brasil, índia, EUA, China e Rússia, capacidade militar incçlui obrigatoriamente um componente industrial, de CT&I e de gestão de aquisição.

Recente artigo publicado neste Portal, apresenta um arcabouço conceitual que aborda o problema do preparo da defesa na era pós-industrial.

Finalmente, apresentação feita no Clube Naval do Rio de Janeiro, no dia 25/11/2019, sobre o Planejamento da Defesa em Tempos de Paz discute os trade-offs necessários entre orçamento, capacidade operacional de combate (propiciada pelas Forças Armadas) e capacidade industrial, de CT&I e de gestão da aquisição (propiciada pela Base Logística de Defesa) que formam a base desse planejamento. 

 

 

Editor-Chefe: Prof. Eduardo Siqueira Brick
Copyright © 2011 Portal do UFFDEFESA. Todos os direitos reservados.